segunda-feira, junho 17, 2013

SOBRE NOMES E MEIO-ELFOS

Ou Como Dar Um Nome Para Aquele Ranger Meio-Elfo Que Luta Com Duas Armas.

Você criou seu personagem, escolheu valores de atributos, habilidades, perícias, vantagens, talentos e tudo mais. Calculou cada bônus e redutor para criar o melhor personagem possível. Fez até um desenho dele! Mas, falta aquele detalhe que sempre fica por último, você sempre acha que será o mais fácil, porém, quando chega a hora, você perde mais tempo escolhendo o nome que se estivesse montando um personagem de GURPS!

Dar nome a um personagem, seja de RPG, quadrinhos ou de um romance, exige bem mais que simples junção de palavras aleatórias. É necessário que o nome não só carregue todo o significado da figura que representa, como também seja marcante, sonoro e lembrado pelos bardos. Existem personagens que dispensam apresentações, seus nomes são suficientes para formar uma memória residual em qualquer um que esteve em cinemas ou em frente a TVs nos últimos 30 ou 40 anos. Afinal, quem não sabe quem é Indiana Jones? Clark Kent? Peter Parker? Han Solo? Luke Skywalker? Freddy Kruger? Jason Voorhees? Ou James Bond? Este, aliás, tem na apresentação do nome uma de suas marcas registradas - jogue a primeira pedra quem nunca repetiu no espelho "meu nome é Bond, James Bond!" - E o que dizer de Rocky Balboa ou Rambo? Existem nomes com tanta força que perdem até a característica de substantivos próprios e passam designar conceitos: quem aí já não teve um amigo mcgyver? Para as gerações mais novas, impossível não lembrar quem é Harry Potter!

Muito bem, mas a pergunta é: COMO eu faço para ter um personagem com um nome tão marcante que será lembrado por gerações? Bem, é muito difícil. Mas podemos pelo menos garantir que ele será lembrado até a próxima sessão de jogo ou até o próximo capítulo, e isso já é estar no lucro. Então, vamos a algumas dicas básicas!

1. Simples e fácil.
Sabe aquele nome mega legal que você bolou digitando teclas aleatórias no teclado? Jaduniak, Aneyrencinis, Widmvhaner? Esqueça! Seja simples. Busque palavras que tenham sonoridade, poucas sílabas e, principalmente, sejam fáceis de pronunciar. Ninguém vai lembrar de um nome muito grande que não saiba falar, ou você consegue citar algum personagem coadjuvante de Bernard Cornwell? Falando desse escritor, repare no personagem principal do livro O Rei Do Inverno: Derfel. Um nome simples, de duas sílabas e, por mais que na maioria das vezes você erre a pronúncia - porque a forma correta é |dervel| e não |derfel|, como somos levados a falar, - é um nome simples de dizer. Use um nome que, pelo menos, seja fácil de falar errado. Busque termos curtos. A cultura pop está cheia de exemplos: Solo, Bond, Wayne, Kent, Parker, Ryu, Ken, Seya... Ou você acha mesmo que alguém vai se importar em lembrar o nome de um meio-elfo que nem dá para falar, como Kwyddywarch? E se ele se chamasse Aranis?

2. Use o dicionário.
Um caminho para tornar um nome marcante é dar um significado para ele. Ou melhor, escolhê-lo a partir de um significado. A tradição normal de se dar nome as pessoas parte deste princípio: o nome representa aquilo que a pessoa é ou seu destino. Ele sempre carrega um significado, que representa o fardo dessa pessoa. O que é seu personagem? Um guerreiro livre que age por sua própria vontade? Charles, Karl ou Kalle podem ser bons nomes, todos significam "homem livre". Uma espadachim que busca no fio de sua espada a vingança contra um inimigo do passado? Brenda ou Brenna são variantes para "espada" em irlandês. Uma sacerdotisa guiada por deuses da luz? Eleonora, Lenora ou Lenore significam "iluminada". Kane é "guerreiro"; Trevor, "cauteloso"; Quinn, "sábio"; Ansur, "filho dos deuses"; Alicia, "mulher nobre"... Procure dicionários de nomes próprios germânicos, gaélicos, irlandeses, saxões, gregos e outros na internet para ter diversas fontes de boas ideias na hora de bolar nomes com significados relevantes. Além de ser uma bom ponto de partida para criar um background interessante para seu personagem. Uma dica de site é http://www.dicionariodenomesproprios.com.br/. Lá, você encontra listas por origem, como nomes ingleses, eslavos, gregos, etc.

3. Crie.
Uma saída para conseguir um nome único e marcante é você criar seu próprio nome. Para isso, tenha em mente alguns parâmetros. Primeiro, o que já dissemos anteriormente continua valendo: faça um nome simples e sonoro, sem muitas sílabas e que sejam pronunciáveis. Se você estiver numa campanha de fantasia ou em que exista raças diferentes, perceba os modelos de nomes para cada raça. Confuso? Por exemplo, em fantasia medieval, elfos normalmente possuem nomes melodiosos cheio de vogais, utilizando letras como l, n, s, r, i, a, e, y, w... Laurana, Lenora, Lorien, Tanis, Aranis, Jaheira, Sorien, Aerie, Arwen... Anões, por sua vez, têm nomes mais fortes, mais duros, com letras que representam essas características: t, d, u, o, r, m, e, k, i, g... Thorin, Gimli, Ghim, Durin, Tordek, Theros, Karnak, Therom... Bárbaros costumam ter nomes curtos e de sonoridade rude: Thor, Khartak, Kitiara, Gorar, Katabrok, Korgan, Minsc, Conan, Nanoc... Faça uma pesquisa sobre as raças e facções de seu cenário e sobre os nomes mais comuns entre elas. O resto é criatividade.

Essas são só algumas dicas. O assunto pode se estender a várias e várias linhas sobre significado, morfologia e uso dos nomes. Como dica final, evite nomes óbvios demais, como aqueles já desgastados pela literatura e cinema: Jack, Jonh, Tony, Charles, etc. Eles não são marcantes e são facilmente esquecidos. Vá de Roland, Ewan, Gregor, Francis, Sibila, Amicia, Valerie. Evite também nomes de personagens muito conhecidos como Aragorn, Conan, Merlin, Bilbo, Legolas, Frodo, Artur, Gandalf, Drácula... Sério, não use algo assim. seu personagem ficará sempre à sombra do xará famoso. Se quiser homenagear uma figura conhecida, use algum nome que seja menos conhecido. Por exemplo, Aragorn também era conhecido como Estel entre os elfos. Gandalf era chamado de Mithrandir em Gondor. Conan possuía um clone (?!) conhecido como Konar. Artur também era Artorius. O nome verdadeiro de Drácula era Vlad... E quanto àquele meio-elfo, acabei denominado-o de Kalle, que é meu nome Carlos em finlandês, justamente porque significa "homem livre", combinando com a personalidade do personagem, que não se sente pertencente a raça ou nação nenhuma e vaga sem destino, livre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário